Limite de crédito: 4 passos para determiná-lo com segurança

Os processos de recebimento da sua empresa estão blindados contra inadimplência? De que forma você determina o limite de crédito que o seu estabelecimento oferece para cada cliente? A determinação do limite de crédito para os clientes é uma ferramenta muito importante para que seus recebimentos sejam realizados de forma mais segura.

Trabalhar com política de limite de crédito pode auxiliar a sua empresa a diminuir a inadimplência, aumentar o seu faturamento e ainda estreitar o relacionamento com os seus clientes.

Mas em que consiste o limite de crédito?

O limite de crédito indica o risco máximo que a empresa está disposta a correr com determinado cliente. Esta é uma atividade de controle, ou seja, um ponto de checagem para garantir que o processo de recebimento ocorra da melhor forma e com segurança para casos de vendas a prazo.

A forma como esse procedimento é realizado e os critérios adotados para estabelecê-lo variam para cada empresa. Se a decisão do crédito não for baseada em critérios claros, pode acabar sendo feita de forma muito subjetiva, baseada apenas na aparência do cliente e na percepção do vendedor. Dessa forma, em vez de contribuir para diminuir a inadimplência, pode acabar aumentando.

Conheça os 4 passos para determinar limite de crédito com segurança aos seus clientes:

Passo 1: solicite documentos comprobatórios

O primeiro passo é a solicitação da documentação comprobatória do cliente. Por exemplo, para pessoas físicas, é importante pedir comprovante de residência recente, comprovante de renda, referências comerciais e pessoais, CPF e RG. Para pessoas jurídicas, como as transações podem envolver valores bem maiores, dentre os documentos solicitados, estão:

  • Solicitação do contrato social e suas últimas alterações: para identificar quais são os sócios da empresa;
  • Certidões negativas de FGTS e INSS: para verificar a regularidade de pagamentos da empresa junto ao FGTS e INSS;
  • Faturamento bruto dos últimos 12 meses à operação: para identificar se a empresa está com uma regularidade de faturamento ou se houve queda;
  • Referências comerciais: para identificar se a empresa possui bom histórico com outros fornecedores (volume de compra, pontualidade no pagamento etc.).

Evite o cadastro de informações que você não vai utilizar na análise de crédito ou para ações de relacionamento.

Passo 2: consulte os órgãos de proteção de crédito

Essa consulta deve ser feita para identificar possíveis restrições do cliente nos órgãos de proteção de crédito. Um extrato será gerado informando se o cliente está regular ou se existem dívidas ativas, pendências e inadimplências, empresas credoras e a data de origem do registro da dívida.

Caso haja alguma não conformidade durante essa consulta, o ideal é que a aprovação do crédito seja avaliada com mais critério, analisando o valor da venda, o prazo, a forma de pagamento etc. Afinal, o risco de inadimplência por parte desse cliente pode ser grande.

Além disso, é preciso avaliar a regularidade da venda. Este pode ser um cliente já com uma compra recorrente. Então, nesse caso, os critérios são diferentes: cabe uma revisão de limite frequente, observando o comportamento desse cliente.

Passo 3: analise a documentação

Durante essa análise, toda a documentação deve ser conferida e sua autenticidade confirmada.

É preciso entrar em contato com os estabelecimentos de referência de cada cliente e extrair informações quanto à regularidade dos pagamentos efetuados e quanto ao volume de vendas realizadas a ele.

Passo 4: determine o limite de crédito

Com base nas análises realizadas, a sua empresa está mais preparada para determinar o limite de crédito ao cliente. É imprescindível que haja um equilíbrio nesse processo. Caso a empresa aprove um limite muito alto, correrá grande risco de não receber. Por outro lado, se a empresa restringe muito essa margem, poderá limitar suas vendas e, consequentemente, os seus lucros. Portanto, é preciso encontrar o limite de crédito ideal para garantir o faturamento do seu negócio conforme o esperado.

Sua empresa pode ainda criar faixas de limite de crédito e enquadrar os clientes nessas faixas para não ter diversas opções que podem dificultar o controle e a gestão. Esse limite pode ser tanto o valor total, quanto a quantidade de parcelas e o valor de cada parcela.

É importante que a empresa tenha uma forma prática e rápida de registrar e consultar essas informações dos seus clientes. Assim, ela não burocratiza o processo de vendas e tem segurança no processo de recebimento.

A escolha de um software capaz de gerir esses limites que foram alimentados pela área de análise de crédito e possibilitar liberações por alçada de gerência são gatilhos que possibilitam um gerenciamento mais eficaz e negociações cada vez mais assertivas.

As rotinas financeiras, quando bem conduzidas, podem levar sua empresa a níveis surpreendentes de gestão e eficiência. Leia também o artigo “5 dicas para nunca mais errar no fechamento de caixa” e evite de vez a temível falta de dinheiro constatada no final do dia.

Ir para artigo: “5 dicas para nunca mais errar no fechamento de caixa”

jQuery(function($){ $('.navegacaoMobile .box.visita').remove(); });

Gire seu smartphone para visualizar o site